Em nome de Allah, O Misericordioso, O Misericordiador

Turismo no mundo árabe tem forte potencial de crescimento

Turismo no mundo árabe tem forte potencial de crescimento

Participação do Oriente Médio na movimentação mundial do setor pode subir de 6% para 8% até 2030, o que significa 150 milhões de turistas por ano.

A Organização Mundial do Turismo (OMT) prevê que o número de turistas internacionais vai chegar a 1,8 bilhão de pessoas por ano até 2030. Até lá, segundo levantamento do Departamento de Inteligência de Mercado da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, a participação do Oriente Médio neste mercado pode subir dos atuais 6% para 8%, o que significa cerca de 150 milhões de visitantes anuais. Vale lembrar que o número global de turistas internacionais chegou a 1,4 bilhão em 2018, dois anos antes do previsto pela OMT.

Turistas tiram fotos em Petra, na Jordânia. O mundo árabe reúne uma das maiores diversidades do mundo em termos de atrações turísticas, desde monumentos da antiguidade do porte das Pirâmides de Gizé (foto do alto), no Egito, e da cidade de Petra, na Jordânia, até ícones arquitetônicos do século 21, como o Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo, em Dubai. Mesmo em tempos de crise, destinos da região como Egito, Jordânia, Líbano, Tunísia e Marrocos reagem rapidamente por seu charme atemporal e pela hospitalidade de seus povos.

Em Dubai, por exemplo, a Emirates Airline prevê superar a marca de 70 milhões de passageiros transportados em 2020, ano em que o emirado vai sediar a exposição universal Expo 2020, evento que pode atrair 25 milhões de visitantes para a cidade. A previsão para o ano que vem é que o Aeroporto Internacional de Dubai e o mais novo Aeroporto Internacional Al Maktoum recebam 126 milhões de passageiros. O último, quando estiver totalmente pronto, no final da próxima década, poderá receber 220 milhões de passageiros por ano.

Halal. Assim como alimentos e outros bens de consumo, o turismo pode ser halal, ou seja, realizado seguindo tradições islâmicas. Muçulmanos praticantes gostam de tirar férias em lugares que respeitam suas crenças e atendam suas necessidades, como a oferta de alimentos halal em restaurantes e hotéis, acomodações que incluam salas de oração e resorts com estruturas segregadas para famílias em piscinas e praias.

O turismo de praia é um segmento particularmente forte. Em 2017, na Turquia, por exemplo, os resorts considerados halal movimentaram US$ 184 milhões. A Turquia não é um país árabe, mas sua população é majoritariamente muçulmana. Nesse sentido, um número crescente de países e operadores estão suprindo a demanda deste mercado desde o Norte da África até o Extremo Oriente.

O turismo é tão importante no mundo árabe que países como Arábia Saudita e Omã estão colocando a atividade como uma das principais propulsoras do crescimento econômico em suas estratégias nacionais de desenvolvimento.

De acordo com o Departamento de Inteligência de Mercado da Câmara Árabe, a Arábia Saudita pretende ser mais do que um destino de peregrinação, convencendo os muçulmanos que vão ao país para o Hajj e a Umrah a estenderem sua estadia e visitarem outros locais religiosos, históricos e culturais. Os sauditas planejam investir US$ 64 bilhões em entretenimento na próxima década, e pretendem também expandir significativamente a infraestrutura para peregrinação com o objetivo de melhorar a experiência dos peregrinos. Um exemplo disso é a construção de uma ferrovia de alta velocidade entre Meca e Medina.

O gasto de muçulmanos em viagens foi estimado em US$ 177 bilhões em 2017 e a previsão é que esta movimentação chegue a US$ 274 bilhões em 2023, segundo o relatório State of the Global Islamic Economy.

Fonte: ANBA

Obter a certificação Halal
Inspeção islâmica - Siil Halal
TELEFONE+55 (49) 3323.1224
Av. Porto Alegre, 427D
Ed. Lázio Executivo, Sala 702
Chapecó - Santa Catarina - Brasil
CEP:89.802-130
Redes sociais
© Copyright 2018. Todos os direitos reservados.